Bate-papo da semana!

Por Roberta Bonfim

Gravamos mais um programa na última segunda-feira, o terceiro habitando a Varanda Criativa, a terceira live, – não ficou mais fácil, pelo menos não ainda, talvez o contrário, mas… – seguimos. E assim vamos nos colocando presentes na mesma vibe.

E foi incrível e dificílimo. Incrível porque a Varanda nos recebe muito bem e faz com que nos sintamos em casa, porque temos uma equipe linda de deliciosa. Diva Cacheada já produziu e levou nossas tiaras lindas feitas carinhosamente. Meu primo Tiago Lima, veio nos somar. Gustavo Portela não aceitou minha proposta de fazer som, mas pegou a câmera na mão, pra brincar. ❤ E Lorena parade e em movimento. Jether fazendo as fotos. Allana arrasando nas redes sociais e até o Japa entrou na roda.

Começamos o papo com Clara Freitas, que é uma cozinheira excelente, e tem uma risada maravilhosa, além de múltiplos talentos que conheceremos mais no decorrer da temporada Lugar ArteVistas – arte na cozinha, com Clara Freitas, que começa na segunda quinta de março. E convidamos Lorena Armond a somar no nosso papo e falar da sua experiência de gravação e de femininos.

Na sequência ainda conversamos com Gyl Giffony e Marcelo Street, dois incríveis ArteVistas que eu particularmente tenho um carinho e gratidão por tê-los na minha caminhada, no instante já, e no que já foi ou virá.

Grata a todos que estavam conosco e até a próxima segunda com papo imperdível com Ni_Groover, Paulo Germano e Pedro Lopes.

Se rolou identificação se inscreve e liga o sino para ser notificado sobre nossas atualizações.

Lugar ArteVistas #arteondeestiver -Revista eletrônica cultural interessada em artes e culturas, gostamos de compartilhar processos. Ao promover trocas, aprendizados e novas percepções de existir tendo como base o respeito e responsabilidade de cada um sobre o mundo. Foi com essa proposta que o projeto Lugar ArteVistas teve início, em junho de 2012, em forma de uma revista eletrônica hospedada no YouTube focado na trajetória e experiências ArteVisticas e Lugar es onde estão inseridos.

http://www.lugarartevistas.com.br
@lugarartevistas

Bate-papo com ArteVistas na Varanda Criativa.

“Não sou cronista e o que eu escrevo é excessivamente pessoal” C.L

Por Marcelina Acácio

Difícil escrever hoje, com a lua em mim minguando.

Por aqui um caos instaurado, desde voltar para casa numa TPM de 1000°, voar (que eu não adoro, mas amo viajar), chegar, organizar materiais e matéria viva, dar notícias à família, aos amigos, responder mensagens, e-mails, tornar a habitar a casa, a cidade, o café preferido, pensar, sentir saudades, estar atravessada por tudo que foi vivido, visto e sentido.

E um desespero…

Preciso parir uma escrita, e não sei por onde começar.

Bom, posso começar dizendo que estou doente de Brasil. Que não estou dando conta das redes sociais, do noticiário, dos acontecimentos do Brasil atual. Tá pesado!

Decidi pelo bem da minha saúde mental, me ausentar do Facebook por uns dias, essa rede que além de improdutiva é adoecedora. Também desinstalei o Instagram, mas o instalei novamente horas depois, o que diz muito da minha oscilação de estados. Eu gostaria de não precisar usar o WhatsApp.

Voando para casa, como passarinho que voa com as asas nos pés, encontrei uma Fortaleza coberta de nuvens suspensas às 03h00 da manhã. Era bonito ver a cidade de cima, e os pontinhos de luz em meio à escuridão da noite, o que me deu a sensação de uma cidade segura e tranquila. Lembrei do Zé Tarcísio, e do seu conjunto de obras intitulado VÔOS RASANTES, e fiquei pensando no olhar do artista, que é capaz de captar tantas sutilezas, ser atravessado e atravessar. Pensei na arte como uma embriaguez dos sentidos.

VÔOS RASANTES – ACRÍLICA SOBRE TELA
2004

Desço da aeronave e do lado de fora, às 03h30, fazia calor. Que bom é estar em terra, nem tão firme, mas em terra!

Voltando a Barão Geraldo, embora seja um lugar de natureza tranquila, é foda pensar que nenhum lugar é tranquilo quando se é mulher, por mais livre que se sinta. Na minha última noite, caminhei tranquila às 02h30 da manhã, embriagada (informação irrelevante), talvez irresponsável da minha parte. Por duas vezes durante a minha estada e não era noite, eu fui importunada, numa das vezes fui seguida de carro, o que me deu medo e raiva. “Que desgosto ser mulher, às vezes” (Carolina Maria de Jesus). Na mesma noite que caminhei sozinha pelas ruas de Barão, assisti a um fragmento de uma performance, cujo sentido era o “ser mulher” e quais as suas vantagens. Perguntada sobre quais as vantagens de ser mulher, respondi que a principal delas é a loucura, pois as loucas são por natureza também livres. Que potente é ser mulher e estar entre mulheres!

Bom, não consegui voltar a São Paulo e ver a Bienal, o que era um desejo. Mas consegui passar um dia inteiro, sob forte chuva, tentando viajar a São Paulo ao lado do melhor companheiro de viagem, um palhaço mexicano, muy lindo. Ao final, e após todo o fracasso voltamos para casa ouvindo “gracías a la vida”. Gracías a las deusas, nosso encontro só se deu no último dia, caso contrário, eu estaria irremediavelmente apaixonada. Não se apaixone por um palhaço! Melhor dizendo, não se apaixone!

Voltando à realidade, as aulas no IFCE começaram, e eu sou a mais nova estudante de Licenciatura em Teatro, isso porque a vida me parecia tranquila e sem emoção, e quando isso me ocorre eu procuro imediatamente um abismo.

Hoje voltei ao meu café preferido, à procura de uma inspiração, a menor que fosse.

Pedi um cappuccino e uma fatia de torta de chocolate, a que tivesse mais cobertura. Me veio o José, com um coração na borda da xícara. Senti que ele deu “match”. Ao final, me perguntou se eu estava satisfeita, menti descaradamente respondendo que sim.

WhatsApp Image 2020-02-12 at 22.01.38

Completando Ford vs Ferrari e mais alguma coisinha

Por Janaina Alencar

Olá, povo!
Tudo bem com vocês?
Vim cumprir a minha promessa da coluna passada, de que quando
assistisse Ford vs Ferrari teceria meus próprios comentários para vcs!

Ford vs Ferrari

Como já dito, Ford vs Ferrari é dirigido por Mangold e concorre ao Oscar
com 04 indicações: Melhor filme, Melhor edição de som (Donald
Sylvester), Melhor mixagem de som (Paul Massey, David Giammarco e
Steven A. Morrow) e Melhor edição (Andrew Bukland e Michael
McCusker).
As estrelas do filme são dois ícones de Hollywood, Matt Damom (Carroll
Shelby) e Christian Bale (Ken Miles), dois puta atores, que escolhem
muito bem os papeis e cujas interpretações são sempre magníficas!
O filme é baseado em fatos reais, sobre corridas de carros nos anos 60,
e mostra como a Ford ingressou nas corridas, construindo o Ford GT40, o
carro que derrubou a Ferrari nas corridas das 24 horas de Le Mans.
Henry Ford II, através de seu departamento de marketing, na pessoa de
Lee Lacocca, procuraram por Shelby, um piloto de corridas aposentado
por um problema cardíaco, para construir o Ford GT40, sem limites de
gastos! Shelby, então, contrata Miles, um mecânico que entende
absolutamente tudo de carros, apaixonado por carros e por corridas, e
um piloto sem igual! E juntos eles escreveram uma das histórias mais
incríveis no mundo das corridas de carros.
O filme é massa, lindo, emocionante. Embora eu não o considere filme
para estar entre os indicados a Melhor filme pela academia! Mas vale a
pena ver! Nota 8!
Agora que já falei de todos os indicados a melhor filme do Oscar 2020,
vou comentar um pouco sobre outros filmes, também indicados ao
Oscar, mas em outras categorias!

Judy

Judy: muito alem do arco-íris, concorre ao Oscar de Melhor atriz com
Renné Zelweger, baseado na história real da atriz e cantora Judy
Garland, a eterna Alice no país das maravilhas. Filme emocionante,
muito triste, e com uma interpretação não menos que sensacional de
Renné! Ela ganhou todas as premiações as quais foi indicada esse ano
por esse papel! E é a preferida ao titulo da academia! Filme muito bom!

Dor e gloria ..
Dor e Glória, do dono da porra toda: Pedro Almodóvar! Concorre a
Melhor filme estrangeiro e Melhor ator com o maravilindo Antonio
Banderas! Que está incrível no papel de Salvador Mallo, um cineasta
brilhante, que após inúmeras doenças se afasta dos filmes. O filme é
uma espécie de recordação de Mallo, de todas as coisas que deixou
para trás por conta de suas inúmeras doenças! É o 21º filme de
Almodóvar, que o descreveu como sua história mais pessoal! Filme
belíssimo e maravilhoso, como tudo que Almodóvar faz.
E, finalmente, hoje, é a tão esperada cerimônia do Oscar 2020! E, já que
é de cinema que estamos falando, vou dar um spoiler: essa semana
tem coluna extra falando sobre como foi a grande festa do cinema!
Bom Oscar para todos vcs!
Forte abraço.

Vamos fazer um amorzinho?

Por Indyra Gonçalves

Escolhe a playlist, prepare o ambiente que hoje o sextou vai ser para fazer um amor gostoso. Na verdade, todo dia é dia de amar, namorar e curtir com quem te faz bem, dá tesão e te faz feliz. Vem chegando, relaxa, abre a mente que o papo de hoje é sobre sexo. Porque sexo é bom e faz bem para a pele, alma e para vida. E sexo na juventude, nossa, é ainda melhor.

O gatilho do papo desta sexta tem dois motivos: eu amo falar sobre sexo e quero aproveitar para fortalecer o debate crítico sobre a campanha do Governo Federal nomeada como”Tudo tem seu tempo: adolescência primeiro, gravidez depois“, que prega abstinência sexual para os jovens contra a gravidez precoce.

Antes de seguir, quero deixar claro que é muito importante que os governos promovam ações, discussões e conscientização dos jovens sobre gravidez precoce. Esse é um papel importante do Estado. Mas claro, as campanhas devem ser feitas pelo viés educacional, como uma pauta de saúde pública, com conversas francas, sem tom religioso ou moralista como é o caso do governo federal, que em uma nota tècnica do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos aponta que começar cedo a vida sexual leva a “comportamentos antissociais ou delinquentes” dos jovens e “afastamento dos pais, escola e fé”.

imagem 1

Jovens, escutem, transar é incrível. Transar na juventude é ainda mais intenso e gostoso. O sexo tem mágica em todas as idades, na verdade. Ele se adapta aos mais diversos períodos da nossa vida, a como estamos relacionados conosco, com o nosso corpo e com o outro. Com certeza a maturidade nos proporciona mais conhecimento sobre o nosso corpo e desejos. As inseguranças são um pouco menores. A prevenção de doenças é bem maior. Com quem ou “quens” vamos transar acontece sem pressão. Mas antes de chegar nesse ambiente um pouco mais pleno, temos dúvidas, medos, poucas informações. Isso é normal. Vamos combinar que a adolescência não é fácil. E para este momento da vida de milhares de mudanças, inseguranças e dúvidas o melhor é apoio e conhecimento.

Então, vamos colocar conhecimento nessa conversa e falar da polêmica educação sexual nas escolas. Amados e amadas, por favor, ninguém aqui está propondo inserir na grade curricular dos adolescentes como fazer sexo. Desconecte dessa ideia ridícula e sem argumentos. Educação sexual é conhecimento. É esclarecer dúvidas sobre sexualidade. Essas informação e formação permitem cuidar, de verdade da juventude com alertas para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), gravidez na adolescência e experiências sexuais traumáticas. Pedir (quase como uma obrigação) para um jovem não transar é o mesmo que sugerir o contrário. Acredite, eles vão transar mais e pior, sem informação e sem prevenção.

Daí a importância da educação sexual. Ela está ligada a vários ambientes sociais dos jovens. Diferente do que os fundamentalistas colocam, que esta é uma responsabilidade apenas da família, pelo contrário, este é também um ambiente de discussão e atuação que envolve educadores, escolas e profissionais de saúde. A falta de conhecimento, inclusive desde a infância, pode gerar cenários de abusos sexuais, realidade de muitas crianças de jovens no País. Uma matéria da Folha do ano passado, aponta que o “Brasil registra mais de 180 estupros por dia. O número é o maior desde 2009. Mais da metade das vítimas têm até 13 anos e três quartos conhecem o agressor”. É um número alto, alarmante e preocupante.

imagem 3

O Brasil precisa de educação. Encarar as necessidades e as realidades da população com soluções que tragam dignidade, respeito e humanidade. O nosso país precisa de informação sem rodeios, moralismos ou fantasias. Atualmente, o Brasil tem 400 mil casos anual de gravidez na adolescência; quase um milhão de pessoas com HIV; cerca de 400 mil estupros por ano, desses 70% das vítimas são crianças. São mais do que necessárias ações com soluções para a nossa realidade. Pedir abstinência sexual é ignorar a imensidão de abismos sociais e problemas reais que temos. É andar por caminhos que não resolvem. Repito: os jovens não vão deixar de transar. Pelo contrário, vão transar mais e ainda mais desinformados. Bem, os resultados serão ainda piores.

A Organização das Nações Unidas (ONU) oferece orientação de como implementar nas escolas programas de educação sexual. Ela implica a necessidade de tratar o tema como ciência, logo, é fundamental a participação de profissionais da saúde. Para além da saúde, é importante levar em consideração questões de gênero e diversidade. O programa deve ter jovens e a família como protagonistas, inclusive, o ideal é que a estrutura seja pensada por ambos. É importante que sejam oferecidos dados científicos sobre gravidez precoce, doenças e as maneiras para prevenção. O tema pode ser abordado como for melhor para escola, a comunidade e os jovens, desde uma disciplina fixa a momentos específicos junto de outras atividades.

Fora do Brasil, a exemplo da Europa, a educação sexual é vista como normal e saudável ao cotidiano das escolas. A disponibilidade do assunto é inserida nos currículos para crianças e adolescentes de 11 a 13 anos. A abordagem é transversal, ou seja, não há uma disciplina específica. A educação sexual é inserida na grade de várias formas, especialmente nas aulas de biologia.

Uma dica muito boa, com roteiro bem elaborado, inteligente e necessário é a série da Sex Education, da Netflix. A produção traz, muito além do que adolescentes confusos com as relações, o sexo e o mundo, mas uma discussão ampla, com bons argumentos e pelo olhar de uma profissional, a psicóloga dra.Jean. A série mostra que o sexo ainda é um tabu para jovens e adultos. Uma das queridinhas da Netflix, a produção está na segunda temporada com muita informação sobre DSTs, as diversas formas de relacionamentos, as milhares de dúvidas dos jovens e claro, sobre sexo. Vale muito a pena assistir!

image 2

Divulgação Sex Education Netflix

Transar é humano. É instintivo. É tão saboroso como um brigadeiro recém saído da panela ou água gelada no calor. É libertador, intenso e gostoso. Uma hora ou outra a vida vai te foder, esse momento não é bom, definitivamente, mas necessário, às vezes. Então, aproveite para transar agora. É maravilhoso sentir seu corpo no corpo de outra pessoa. Sentir o pulsar do desejo atravessando tudo o que você achava que controlava até perder o controle. É incrível olhar a si mesmo e o outro descabelados, suados, molhados. É delicioso ouvir o sussurrar do outro. São toques, abraços, tesão. Você se conhece, conhece o outro. Você goza. Acredite, a vida é maravilhosa e única, mas ela vai te colocar em abstinência de vários prazeres, amores.  Transe! É sempre uma descoberta inexplicável.

Aproveitem a juventude e depois dela também para transar. Busquem informação e caiam nos prazeres do sexo com responsabilidade, conversando com profissionais da saúde, entendendo os processos do seu corpo, do corpo do outro e com prevenção. Bom fim de semana!

 

 

 

Novos comentários sobre os indicados a melhor filme – Oscar 2020

Por Janaína Alencar

Olá, povo!
Tudo bem com vocês?
Em caráter extraordinário, trago hoje para vocês o comentário de 04
dos 09 filmes indicados a melhor filme no Oscar 2020: 1917, Adoráveis
Mulheres, Jojo Rabbit e Ford vs Ferrari.

1917
1917, do diretor Sam Mendes, foi indicado ao Oscar em 10 categorias:
Melhor Filme, Melhor diretor (Sam Mendes), Melhor Roteiro Original (Sam
Mendes e Krysty Wilson-Cairns), Melhor trilha sonora (Thomas Newman),
Melhor edição de som (Oliver Tarney e Rachael Tate), Melhor mixagem
de som (Mark Taylor e Stuart Wilson), Melhor direção de arte (Dennis
Gassner e Lee Sandales), Melhor fotografia (Roger Deakins), Melhor
maquiagem (Naomi Donne) e Melhor efeito visual (Guilaume
Rocherson).
1917 é um filme de guerra, épico, dirigido, co-escrito e co-produzido
por Sam Mendes. A trama é parcialmente baseada em uma história
contada a Mendes por seu avô paterno, Alfred Mendes, e narra a
história de dois jovens soldados britânicos durante a Primeira Guerra
Mundial, que receberam a missão de transmitir uma mensagem
alertando para uma emboscada contra compatriotas que seria
realizada pelos alemães, logo após sua retirada para a Linha
Hindenburg, durante a Operação Alberich, em 1917. Sam Mendes,
juntamente com o diretor de fotografia, Roger Deakins, foram
altamente ousados e incríveis! Gravaram o filme em tempo real,
praticamente sem cortes, técnica conhecida com o plano-sequência
São duas longas cenas, envolvendo milhares de atores, explosões e
muitas cenas ao ar livre. Parece um teatro! Não foi à toa a indicação
de melhor fotografia! Um filme emocionante, tenso, lindo! Já venceu 2
premiações no Golden Globe – Melhor filme de drama e Melhor diretor
e 3 premiações no Critic’s Choice – Melhor direção, Melhor fotografia e
Melhor edição! Nota 09.

adoraveis-mulheres
Adoráveis Mulheres, da diretora Greta Gerwig, concorre à estatueta em
06 categorias: Melhor filme, Melhor atriz (Saoirse Roman), Melhor atriz
coadjuvante (Florence Pugh), Melhor roteiro adaptado (Greta Gerwig),
Melhor trilha sonora original (Alexandre Desplat) e Melhor figurino
(Jacqueline Durran).
O filme conta a história de 04 irmãs: Jo March (Saoirse Ronan), Beth
March (Eliza Scanlen), Meg March (Emma Watson) e Amy March
(Florence Pugh), com personalidades e talentos diversos, que tiveram
que amadurecer na adolescência, enquanto os Estados Unidos
atravessavam a Guerra de Secessão. Elas enfrentam os desafios de
crescer unidas pelo amor, generosidade e companheirismo; e lutam
pelos direitos das mulheres de uma maneira linda! Um filme
emocionante e maravilhoso, de interpretações incríveis e pungentes! O
filme ganhou o prêmio de Melhor Roteiro Adaptado pelo Critic’s
Choice. Nota 09.

jojo rabbit
Jojo Rabbit, filme do diretor Taika Waititi, foi indicado a 06 estatuetas:
Melhor filme, Melhor atriz coadjuvante (Scarlett Johansson), Melhor
roteiro adaptado (Taika Waititi), Melhor direção de arte (Ra Vincent e
Nora Sopková), Melhor figurino (Mayes C. Rubeo) e Melhor edição (Tom
Eagles).
Jojo Rabbit é uma sátira ao Nazismo, escrita, dirigida e interpretada de
uma forma brilhante! Seu enredo gira em torno de um garoto (Jojo
Betzler – Roman Griffin Davis) que deseja fazer parte da Juventude
Hitlerista e que descobre que sua mãe (Rosie Betzler – Scarlett
Johansson) está escondendo uma garota judia no porão de sua casa.
O filme é lindo, impactante, emocionante, engraçado e triste! Passa
uma visão de “otimismo apesar de tudo”! É sensacional! Na minha lista
de torcida, Jojo vem logo depois de Coringa! Acho que a academia
falhou muito quando não indicou Taika Waititi a melhor diretor e,
principalmente, por não ter indicado Roman Griffin Davis a melhor ator!
O garoto é um espetáculo particular do filme! Nota 10!

Ford vs Ferrari

Ford vs Ferrari, do diretor James Mangold, está concorrendo ao Oscar
em 04 indicações: Melhor filme, Melhor edição de som (Donald
Sylvester), Melhor mixagem de som (Paul Massey, David Giammarco e
Steven A. Morrow) e Melhor edição (Andrew Bukland e Michael
McCusker).
Infelizmente, até o presente momento, eu ainda não consegui assistir ao
filme! Então, vou fazer um resumo sobre ele, seguindo os comentários e
sinopses de alguns sites, e me comprometo a vir aqui tecer meus
próprios comentários, tão logo eu o assista!
É uma biografia, estrelado por Matt Damom e Christian Bale, e conta a
história de uma equipe de engenheiros e designers estadunidenses,
liderada pelo visionário automotivo Carroll Shelby e seu motorista
britânico, Ken Miles, que recebem de Henry Ford II e Lee Lacocca a
missão de construir o Ford GT40, um novo carro de corrida com
potencial para derrotar a sempre dominante equipe da Ferrari na
corrida das 24 Horas de Le Mans de 1966, na França.
Até logo mais!
Forte abraço.
Janaina Alencar

Paulicéia Desvairada ou as utilidades dum guarda-chuva

Por Marcelina Acácio

“Onde até na força do verão havia tempestades de ventos e frios de crudelíssimos inverno”.
Fr. Luis de Sousa

Do poema Inspiração, do modernista Mario de Andrade, em Paulicéia Desvairada.

Desde o final de janeiro estou a viver São Paulo, muito moderadamente, porque afinal eu sou virginiana, e os virgos são chatos para sair de casa, especialmente se chove, se faz demasiado calor, ou se a casa que te acolhe é uma delícia, bem localizada no bairro da Pompéia, a poucos quilômetros do Sesc Pompéia, onde até 02 de fevereiro se era possível ver a belíssima, política e sensorial exposição “Entrevendo”, do artista Cildo Meireles. Puta, como esse cara é foda! Assim diria um paulista que aprecia arte. Aliás, coisa que me intrigou, poucas pessoas na rua, no bairro Pompéia sabiam onde ficava o Sesc Pompéia. O motivo da minha estada na “Paulicéia Desvairada” não podia ser outro, senão trabalho. Mas dessa vez, um trabalho especialíssimo, já que vim para fazer uma formação no Lume Teatro, o curso “Estudo Sobre o Corpo Sensível”, uma investigação profunda acerca do corpo da atriz, e claro, do ator, coloquei primeiro a atriz porque chega do masculino vir sempre à frente em tudo, né não?! Inclusive estou usando muitas palavras de gênero masculino no feminino.

Voltando…
O curso acontece em Barão Geraldo, distrito de Campinas, a 110,8 km de SP.
Campinas que é historicamente conhecida por já ter sido um grande polo agrícola e escravagista do estado de São Paulo, e foi também uma das últimas cidades a abolir a escravidão. Não à toa, o nome Barão Geraldo, porque afinal, os barões, os políticos e os generais são sempre honrados com nomes de ruas, avenidas, bairros e cidades.
Barão, terra antiga de barões do café, de negros retintos desumanizados, de sangue doce derramado, cercado de natureza, árvores altas, frutíferas, orquídeas, abacateiros nas ruas, e muitas, muitas flores, é também o lugar preferido de Iansã, já que raios e trovões dão o tom das tardes e noites tempestivas, frequentes. E é onde está situada a sede do Lume Teatro, grupo de importantíssima trajetória e que existe há 35 anos, criando possibilidades para o teatro e para o ensino do ofício da atriz/ator.
O curso encerra próximo dia 06/02, e dia 07/02 eu volto a São Paulo, onde devo permanecer até 11/02, data em que eu volto para casa.
Até lá, quero visitar a Bienal de São Paulo, que abre dia 08/02. O Theatro Municipal, e o que mais der para fazer, ou o que a minha disposição me permitir. Não quero ser uma alma chata, mas não me apetece a noite desvairada, “os bares cheios de almas tão vazias”, já dizia o Criolo.
O mais, tudo é fast food, e as pessoas são anônimas, porque na Paulicéia Desvairada, o tempo urge, o metrô surge, e ninguém se vê. Mas se eu disser que não existe amor, estarei mentindo, pois o encontrei em alguns recônditos lugares, que só eu sei onde ficam. E cada um que descubra aonde se esconde o afeto nas grandes metrópoles.

Sobre as utilidades dum guarda-chuva…

Aqui, como muito chove, muito se perde, e muito se esquece os guarda-chuvas.
Eu diria que, a principal função dum guarda-chuva não é proteger, mas sim, ser esquecido.
Digo isso porque ontem mesmo eu esqueci um guarda-chuva num bar, que havia tomado emprestado, voltei ao bar e nada mais estava, só o vazio. Mais vazio ficou o meu bolso tendo que comprar um novo guarda-chuva, que muito provavelmente também será esquecido.

P.S: Parece contraditório eu ter dito ao longo do texto que não me apetece ir a bares e casas noturnas e finalizar com um “eu esqueci um guarda-chuva num bar”. Eu elejo dias para sair.
Segunda-feira é o meu dia preferido para ir a bares, praias e a qualquer lugar. Porque o restante das gentes já usufruiu desses espaços no final de semana, e o que resta é o que me interessa.

Dias Ansiosos!

Por Roberta Bonfim

São ansiosas as terças, em que fechamos programa um dia depois de subirmos um para nosso canal Lugar ArteVistas – arte onde estiver , no YouTube. Ontem subimos a parte 1 desse papo. Na próxima segunda temos live e as segundas posteriores entram parte 2 e 3, sempre às 21 horas.

No papo que entrou ontem às 21 horas, no espaço virtual , converso com Ni_Groover, um amigo antigo, que me apresentou muita música boa, fortaleceu meu amor por Jorge Ben e ritmou muitos sábados na Órbita, quando eu só saía de chapeleta. A proximidade com Sheyloca, me ajudava no estilo. Grata amiga linda. E Ni, fez Bebé e eu sou Roberta, tomei a música pra mim. E além de Bebé, ele nos apresentou outras músicas incríveis. Vale muito conferir o som e estilo do cara.

Assiste que tá gostoso demais esse papo: https://youtu.be/lsxwG0aKTvM

Quem também me apresentou muito aprendizado foi o fotógrafo e documentarista Felipe Camilo, que além de ser um ArteVista incrível, de olhar sensível e sorriso fácil, é irmão do Preto (Henrique Kardozo) parceiro antigo e querido desse Lugar ArteVistas. Ambos filhos de Karlo Kardozo, com quem eu já tive a honra de conversar, em visita ao seu país Benfica.

Aproveita e acessa o link para ver o bate-papo com Karlo Kardoso: https://youtu.be/3GhfCrGpC7I

Na próxima semana teremos live com participação dos ArteVistas Marcelo Street- músico e multi produtor, e Clara Freitas, chef de cozinha incrível, responsável pela edição Lugar ArteVistas- arte na cozinha.

Daí nas semanas seguintes retomamos com Ni e Camilo, que ganham força com o psicólogo e sociólogo, ArteVista estudioso de Clarice Lispector, Paulo Germano e também com Pedro Lopes que além de artista plástico, é social mídia, motoqueiro, e nosso ArteVista. O ArteVista anfitrião da Varanda Criativa, Gustavo Portela e a passagem rápida de minha concunhada linda que topou ser nossa correspondente, láaa da Espanha. Chique, né?
Estamos juntando correspondentes ArteVistas onde estiver. Se te interessar, se inscreve no canal, liga o sininho e fala com a gente.

E dia 15 de fevereiro vamos pintar umas casas lá no Poço da Draga a convite da ONG VelauMar, gerida pelas maravilhosas ArteVistas Marilac e Isabel Lima. Se junta a nós?

E acho que por hoje é isso. Agora, vou baixar boletos e pagá-los e correr pra ilha-floresta KiKo Alves, nosso editor, para finalizarmos as demandas da semana.

Abraços em todos e até segunda na live (YouTube e Instagram) – 21 horas. E na próxima terça estou por aqui de novo.

Leiam e amem os textos das nossas ArteVistas Marcelina Acácio – quartas
Indyra Gonçalves – sexta
Janaína Alencar

https://youtu.be/lsxwG0aKTvM