Olá ArteVistas!

Minha missão aqui é escrever semanalmente para você, mas nesses últimos dias venho sido surpreendida pela vida que me exigiu parar, zerar, anestesia geral na veia, um órgão a menos no corpo, pequeno e parecido com um camarão o apêndice me deu um baita susto e me possibilitou zerar e zerar é lindo. E sou grata ao universo e aos meus guias espirituais por me terem parado na marra e de modo tão fofo em meio a tudo que o mundo anda passando. Agradeço também a minha avó Hedelita por ter segurado a onda da minha cria, com a colaboração de Meire, Fernanda e Felicidade em tempos múltiplos, grata a todas, e a Izabel que me vendo verde me levou ao hospital e minha mãe e irmã que ficaram comigo por lá, e a equipe. 

Agradeço também aos professores e profissionais com quem divido caminhos por terem seguido os fluxos carinhosamente e respeitado a minha necessidade de tempo para regeneração. Houve uma noite que acordei algumas vezes, ok, mas dormi de 8 da noite às 7:30 da manhã, nem lembro a última vez na vida em que eu experimentara tantas horas para dormir. E ao acordar não fazer nada além de tomar algum líquido, nem ler me dispus. Minhas máximas do dia era ficar com minha filha por um tempo e assistir às biografias nos streamings. E assim vivi de domingo quando depois do café da manhã comecei a ficar bem ruim, até hoje, quando ligo este computador. Era pra ser uma semana, mas as demandas… ou como cantava Cazuza, “o tempo não para”. E é preciso entender os novos ritmos a partir da nova prioridade estabelecida, eu. 

E aqui enquanto Lugar ArteVistas, assinamos um termo de estágio com a Unifor, então se for aluno da Unifor e se identifica com esse lugar chega junto nesse caminhar junto que vai ser lindo. Estamos com uma meninas lindas que já estou com muita vontade de conhecer mais de perto, que são algumas alunas de uma das parceiras no Ser Cidade, a ArteVista Aline Domicio. Se chega, vai!

E por falar no Ser Cidade, estamos com inscrições abertas para mais uma etapa desse lugar que começamos a viver a um ano atrás e que tem sido tão importante para todas nós, em vários quesitos.

Nós do Lerha temos a alegria de te convidar a conhecer caminhos e métodos da psicologia ambiental que nos possibilitam esta integralidade. 

O curso de formação “Metodologias de pesquisa e intervenção comunitária: o que a cidade nos diz?” uma parceria do Lerha com a UFPI e acontecerá quinzenalmente às sexta-feiras, em formato híbrido, com todo conteúdo criativo, compartilhado de modo online.

As facilitadoras e idealizadoras desse curso, são as professoras doutoras Aline Domicio e Ada Raquel, donas de vivências e encontros frutíferos, além de um currículo de encher os olhos. O curso conta ainda com a tutoria das pesquisadoras Rafaela Vasconcelos, Roberta Bonfim e Bárbara Abril como auxiliar.

Inscreva-se agora pelo link https://forms.gle/wkBMZAQ3pEAv1RhG9 e prepare-se para ver a cidade por outros prismas.  

A foto linda que eu particularmente amo, é do ArteVista Jether Junior, em uma visita guiada pelo Poço da Draga, para relação com o Festival Além da Rua, em 2019. E se liga que o Festival está deixando as caixas d’água da cidade de Fortaleza mais bonitas. 

E logo menos vemos como seguiremos a partir de como estaremos. Grata! E até semana que vem!

Roberta Bonfim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s