Um rosto nos observa

Por Julio César Martins Soares

Jorge Luis Borges nos lembra que “por vezes à noite há um rosto que nos olha do fundo de um espelho”.

De alguma forma a existência deveria fazer esse papel, de ao sermos olhados trazer à tona a evidência de que algo ou alguém nos observa. Ou como diria Donald Winnicot: olho e sou visto, logo existo.

Não há como separar o nosso olhar de quem nos olha. Emanuel Lévinas alertava para a ideia de que o rosto do outro manifesta quem eu sou. Como se uma ética universal surgisse a partir desse momento.

Ao que Jacques Lacan dizia que antes de falar já éramos falados. Tantos pensamentos foram se formando acerca desse grande olhar, que nos observa atentamente, como uma conjugação perfeita de emissor e destinatário.

Mas por que esse olhar fala mais de nós mesmos do que dos outros? Qual é o sentido de tudo isso? Ora somos os olhos, ora espelhos, ora a opacidade, ora a escuridão.

Um pouco de mim, ou diria mais, tudo de cada singularidade contém a totalidade, como que inseparáveis. Não há um abismo que separe essa intersecção. Como diria John Donne homem algum é uma ilha.

Vejo o Tempo Incerto

por Júlio @casamentopoetico

Dia após dia uma pergunta filosófica buberiana atravessa meu pensamento, como um relógio sem pilha na parede. Sem corda, sem força, sem propulsão para a vida. Estático, sem brio nem vigor. “O que faz com que você seja você”?

O relógio parado não marca as horas, não define o tempo, apenas se propõe a existir, semelhante a um quadro na parede.
Então, vejo o tempo incerto, de um presente estagnado, sem passado declarado, sem futuro alcançável. Estático. Mecânico. Árido e interminável é o tempo, afirmava Neruda.
Nenhum ponteiro se mexe.
Basta uma pilha e todo elã vital se recompõe, basta uma vontade de existir para que tudo se refaça, basta um mecanismo e todo movimento se renove. Marcadores, numeração, o fato de dar corda faz acordar, faz a cor dar, faz a cor de ar, invisível, intermitente, renovado. Como que vindo de dentro. Eu sou eu e as minhas circunstâncias, nos lembra Ortega y Gasset, independente se o mundo não está bem e o tempo pareça incerto, escolho estar feliz. Outra questão fundamental: por que as horas difíceis demoram a passar enquanto os momentos felizes voam ligeiramente? O poeta Virgílio aponta uma resposta plausível (ars longa, vita brevis) a vida é breve e arte longa, a oportunidade fugaz.

Covid-19 e emoções: uma relação direta

Por Daniel Hamido

Ao longo desses últimos 12 meses analisando o padrão energético do vírus
covid-19/Sars/Cov-2, pude fazer correlações importantes. Como terapeuta, procuro
encontrar padrões recorrentes assim como se fazem cientistas em suas pesquisas
acadêmicas, porém sem o rigor científico. E com estudos de casos de uma, duas,
três…. cinquenta pessoas, consegue encontrar esse padrão.


Os estudos de caso que pude fazer ao longo desses últimos 12 meses desde
quando comecei a atender pessoas em março de 2020 mostraram que quando o
padrão vibratório baixa do indivíduo- esse possui relações com algum aspecto
emocional- o estado de saúde fica comprometido. Quando o padrão vibratório
aumenta -livre de padrões vibratórios densos, mas apenas sutis- o estado de saúde fica
estabilizado. Existe um gráfico – dos mais simples- que é um dos primeiros a medir
isso. Ensino inclusive em meus cursos como a pessoa fazer a automedição de seu
campo energético.


Em radiestesia, uma técnica a qual domino há 5 anos- muito antes da covid e
pandemia- pude observar com as pessoas atendidas em formato remoto- elas em suas
casas e eu na minha- que a repetição de um elemento chamado “larva astral”. Larva
astral são consciências extrafísicas que atuam no campo energético de pessoas que
vibram em energias de baixa frequência. Elas atuam em diversos locais e setores, bem
como associando ao inconsciente coletivo daquele local. Exemplo: motéis possuem
larvas astrais específicas da promiscuidade. Nem todo mundo que vai lá é promíscuo,
mas quem vai acaba pegando um pouco dessa energia do inconsciente daquele local
que é a promiscuidade.


E assim existem larvas astrais em estádios de futebol (sim, lá também!), saunas
gays, muitos outros locais e se você não cuidar até mesmo na sua própria casa! No
próximo artigo, vamos falar sobre esses locais a mais e nos aprofundar sobre esse
tema que considero pertinente.
As larvas para atuarem precisam de um “ambiente energético” propício. Assim
como colônias de bactérias hospedeiras precisam de um Ph, glicose e outros
elementos físicos, as larvas astrais precisam desse ambiente também! Quais são esses
ambientes?

 Pouca iluminação do sol;
 Baixa vibração do pensamento (reclamações, murmurações, ressentimentos,
mágoas, raiva, ódio, vingança, medo, dúvida, insegurança, etc)
Com esses 2 elementos acima por muito tempo, fica o ambiente energético
propício para que a pessoa pegue covid-19, adoeça, agrave o caso e desencarne
fisicamente. Por quê? Por que a larva astral precisa que o padrão vibratório do
hospedeiro esteja com baixa de frequência!

Em outras palavras, não tenha receio do vírus, nem alimente ele
energeticamente com medo, nem dando poder a ele com medo que sente por ele,
nem negligenciando ele. Ele não é apenas mais um vírus. Mas também não um ser
mitológico de 7 cabeças “cavaleiro ceifador”. Ele vibra na frequência que cada
indivíduo vibra! Caso a pessoa vibre por exemplo no medo ele se “alimentará”
energeticamente desse medo e o estado de saúde irá agravar, podendo a pessoa ir até
a óbito. Já em outro cenário, caso a pessoa vibre na gratidão, no perdão, no amor, no
auto-perdão, mesmo que pegue o vírus, nada irá acontecer a você, podendo muitas
vezes ser um vírus assintomático nos moldes físicos de percepção.


Você tem 2 opções de agora em diante. Fazer de conta que não leu esse artigo
e dizer que nada disso faz sentido e “pagar o preço” da negligencia energética ou
buscar se cuidar mais da emoções, do padrão vibratório que são aspectos diretamente
associados. No próximo artigo, irei compartilhar dicas simples para que você possa ter
condições favoráveis para sua casa energética, sua morada física, seu corpo possam
vibrar de forma harmônica independente do covid bater na sua porta.