Anthero Montenegro_ São Cristovão_RJ

Para vocês mais uma ArteVistas e repetimos, esse programa é para vocês e por isso tem como objetivo também ser feito por vocês. Como? Nos mandando sugestões, criticas, anúncios e divulgando.

Agendas imperdíveis no Rio de Janeiro: Exposição Pe. Cicero – Na Feira de São Cristovão

Exposições Caixa Cultural – CCBB – MAM

Espetáculo Sonhos Para Vestir – Parque da Ruinas

Homens – Laura Alvim

São Cristóvão

O Bairro de São Cristovão foi inicialmente habitado por índios tamoios e teve sua ocupação inicial intimamente ligada à conquista do Recôncavo da Guanabara. Em 1565, os Padres Jesuítas receberam uma imensa sesmaria, que se estendia do Rio Comprido a Inhaúma, com seus engenhos e fazendas. Até meados do século XVIII, a área foi ocupada pela fazenda dos jesuítas, cuja sede principal era onde hoje se ergue o Lazareto, ou Hospital dos Lázaros. A partir da expulsão dos jesuítas do Brasil, em 1759, essas terras foram divididas em chácaras. Uma delas, adquirida pelo comerciante Elias Antonio Lopes – a Quinta da Boa Vista – foi doada para uso da Família Real Portuguesa, quando de sua transferência para o Brasil, em 1808. Ao final do Império e início da República, a cidade cresce além do possível com a verdadeira invasão de novos moradores que aqui chegaram em busca de novas oportunidades.

São Cristóvão foi um dos bairros que mais modificações sofreu nesse processo, principalmente por sua localização, próxima ao centro, e pela estrutura de meios de transporte e de abastecimento d’água já existentes desde o antigo regime.

Verdadeiros monumentos históricos ainda sobrevivem e coexistem nesse bairro, tais como os antigos Paço de São Cristóvão (hoje Museu Nacional) e seu parque ( a Quinta de São Cristóvão), a antiga Casa da Marquesa de Santos (hoje Museu do Primeiro Reinado), o antigo Observatório Nacional (hoje abriga também o Museu de Astronomia), a antiga Casa de Fazenda dos Jesuítas (hoje Hospital dos Lázaros), entre outros.