O QUE VOCÊ ESTÁ FALANDO?!?

Silvia Helena de Amorim Martins.

Eu tenho fé na força do silêncio… ( Pouca Vogal).

Sim é isso mesmo que você leu: O que você está falando? Inclusive qual o motivo? Objetivo? Pra quem? E o que sustenta essa prática? Você deve estar do outro lado dizendo o seguinte: Para me comunicar!!!!!

Mas será que isso é necessário? Será que tuuuudo precisa ser falado? Será que o silêncio também não comunica? Há teóricos que enfatizam que o corpo fala. Não estou dizendo para fazer voto de silêncio, estou convocando você a pensar sobre o que você está falando.

Você esta falando para você ou para o outro? Saliento que falar nos organiza psiquicamente, mas por que você está endereçando uma demanda sua ao outro? Seria um pedido de ajuda? Será que você está se afogando em um mar de palavras não ditas? Ou algo precisa ser demarcado? Será que você precisa de aprovação? Dizer o que você faz ou fez tem relevância? Isso te da uma sensação de segurança? Qual a posição inconsciente em que você está se colocando? Eu falo, logo existo? Olha o que eu fiz, está vendo essa (e) sou eu ? Você tem que me amarrr!!! Será que é algo da ordem do reconhecimento?

Eu sei são muitas perguntas! Mas perguntas necessárias e oportunas, afinal “é melhor não saber nada  assim posso entender…”  ecoa uma linda canção dos Gilsons.

Será que você é um ou uma sabe tudo? Sabichão, sabichona? E isso te leva onde? Será que você justifica suas escolhas?? Pra que isso?

“ Mas Silvia é sem maldade quando vejo já falei, me justifiquei, prestei até contas sobre a minha vida”.

A bendita vida mercantil, na qual mostramos para o outro o que parecemos ser, mas muitas vezes não somos…. E por que isso? Medo da rejeição? De não ser suficiente? E não ser aceito pelo que é?

Não duvido que esse modo de ser no mundo esteja no automático, muitos anos no mesmo funcionamento.

Vamos mergulhar nas profundezas do seu ser… Confie em mim você vai emergir melhor….se questionando!?! Talvez o que você está falando seja o seguinte: Eu preciso de  permissão, confirmação para fazer o que desejo, para ser quem sou.

Ai você deve está falando: “Ora Silvia, falo, por que sinto prazer em falar do que faço, onde vou…”

De fato é da ordem do prazer, mas também da necessidade de confirmação. De dar satisfação…

 Você autoriza? Você confirma essa minha escolha? Você está falando de você para você!!! Mas endereçando suas demandas ao outro, em busca de validação, permissão e curiosamente esse comportamento se sustenta por que você busca no outro algo que você mesmo poderia oferecer a sí próprio: Escuta e acolhimento.

E ainda não gosta quando esse outro  não te da um tapinha nas costas e te diz: Tá certo, parabéns!!!

Tem algo ai que precisa ser olhado. Observe a quem você dirige a comunicação. Provavelmente o feedback negativo de pessoas que não compartilham os mesmos valores e ideais que você. Se você sabe que vai ser censurado por que se direciona a essas pessoas? Será que você mesmo se censura? E o outro acaba sendo um reflexo disso?   

O outro não precisa concordar com você!!! Vamos lá pensar um pouco!!!!

Viver não precisa ter funcionalidade… Você não precisa de autorização para ser quem é!!! E vamos fazer um exercício: Ser menos crítico consigo e com o outro.





Nem tudo precisa ser dito. O que você acha de uma postura inédita? Pensar, antes de falar? E viver mais…

 “ Eu tenho fé na força do silêncio”, já dizia o Grupo Pouca vogal. Um nome bem simbólico. Afinal por que essa sede de preencher lacunas…?

PS: Você tem escolha é livre para circular e outras tantas coisas mais… Então por que você se prende? E não se aprende? Afinal QUEM É VOCÊ QUE SE ESCONDE ATRÁS DE UM NOME QUALQUER?!?

Foi bom heinn!!! Será que foi pra você? Não precisa me responder… Nos vemos em breve…Abraços!!!

Tempo de novas cores, sabores e novos amores.

Silvia Helena de Amorim Martins.

Tenho a impressão de que o tempo passa cada vez mais rápido inclusive Mario Quintana aborda isso no seu poema O tempo.

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa

Quando se vê, já são seis horas!

Quando se vê já é sexta-feira!

Quando se vê já é natal…

Quando se vê já terminou o ano…

Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.

Quando se vê passaram 50 anos!

Agora é tarde demais para ser reprovado…

Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.

Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…

Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…

E tem mais: Não deixe de fazer algo de que gosta por falta de tempo.

Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.

A única falta que será é a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Lindo, forte e nos convoca a refletir sobre o que estamos fazendo do pouco tempo que nos resta de vida? Sim por que os sonhos e desejos são muitos e a vida parece ser curta para realizar o que acreditamos querer. O objetivo desse texto é inquietar o leitor (a) sobre suas escolhas e a sua relação com o tempo. Será que você deseja realmente o que diz desejar? E por que não coloca em prática? Eu sei que você deve estar pensando: A Silvia está aqui me cobrando???!!! Não caro leitor(a), estou apenas fazendo uma provocação.

No poema acima já foi alertado sobre a relevância de não deixar de fazer algo que gosta ou com quem gosta por falta de tempo. Dessa forma o que não pode ser deixado para amanhã ? O que não pode ser postergado ? E quanto aos seus desejos será que estão sendo adiados por medo ?

Sempre estamos afirmando o nosso desejo de ter algo, alguém, alguma coisa, mas será que bancamos esse desejo? Será que nos colocamos na posição ativa frente ao objeto de desejo ? Eu sei isso requer coragem, muita coragem na verdade. Sair de uma posição cômoda, se arriscar, lidar com o diferente, fazer um esforço para entender que não existe respostas e pessoas prontas e que tudo é um processo.

E nós também estamos aqui tentando desatar os nós!!!! Sim desatar é uma palavra bem simbólica representa liberdade. Você tem liberdade de ser quem você é ? Ou será que você tem perdido tempo tentando se tornar quem os outros gostariam que você fosse? Isso é bem pesado e a vida não minha concepção deve ser algo leve.

É tempo de reflexão e mais ainda de novas cores, sabores, afetos e novos amores….. Um grande abraço e nos vemos em breve, se sentir saudades me segue no @silviahelena.psi e me acompanha no programa Conversa entre nós sempre ás 19 horas na quinta, transmissão pelo youtube só clicar no canal LugarArtevistas.

DO LUTO A LUTA.

Silvia Helena de Amorim Martins.

O processo de luto é algo bem dolorido mas também transformador, é algo parecido com entrar em um túnel longo, escuro em que você não enxerga muito bem e claro acaba tateando um pouco, usando sua intuição, para encontrar a direção. E preste atenção nisso: Sua direção!!! Não é a minha, nem a nossa, é a sua! Por que cada um vai atravessar esse momento de maneira muito singular. Inclusive essa visão do túnel é bem subjetiva, você pode ter uma outra percepção sobre essa passagem e não tem nenhum problema nisso.

Não estou dizendo que você não pode pedir ajuda, claro que pode, toda ajuda é bem vinda mas, quem vai escolher a direção, a velocidade e como vai atravessar o luto é você. Tem dias que são mais fáceis sim, mas tem dias que são bem mais difíceis, há dias em que você não vai querer levantar da cama, vai se sentir sem forças e ai você negociar consigo mesmo e acaba levantando, há momentos em que você está mais disposto(a), quer até socializar, ouvir uma música. E ai você vai se questionar: Será que não estou vivenciando o luto? Muita atenção a isso para não se sentir culpado(a) não há problema em viver. Provavelmente você vai sentir que está em uma montanha russa, um dia assim e outro assado, mas paciência companheiro(a), existe uma luz no final do túnel.

Se análise é importante?????!!!!! Muitoooo você vai precisar de uma escuta qualificada e de acolhimento isso vai te ajudar a elaborar o seu processo de luto, que pode demorar bastante ou não, isso é subjetivo e depende de cada pessoa. Todos os dias você lembra da pessoa que fez a passagem, por que afinal você não queria que ela fosse e ai rolam umas lágrimas e até um susto por que as vezes você tem a impressão que a pessoa vai voltar e entrar por aquela porta a qualquer momento. Mas ela não entra e ai o que fazer? Há pessoas que falam com seus entes que partiram desse plano todos os dias, inclusive eu. É isso mesmo que você leu!!! Falo, escrevo, sempre ficam muitas coisas que não foram ditas e que precisavam ser faladas e sem dúvida ajudam no processo de elaboração do luto, que é um processo demorado porque você vai passar por diversas fases.

Quando um ente muito importante faz a passagem temos uma impressão de que perdemos, que algo foi tirado de nós, mas aos poucos vamos percebendo que as memórias ficam e até afloram que a pessoa saiu do plano físico e foi para o plano espiritual e que sempre que possível os momento podem ser rememorados e ressiguinificados. É importante você entrar em contato com a sua dor e fazer o que faz sentido para você, inclusive nada, quando você estiver muito cansado(a). A elaboração do luto demanda muita energia, sim você vai sentir uma dificuldade de retomar as atividades. Uma parte sua foi embora também, então acontece algo da ordem da mudança, você vai mudar sua percepção sobre você, sobre o mundo, sobre as prioridades e sobre o tempo.

Mas aos poucos você vai perceber que algo do outro pode ser incorporado a sua personalidade. E atenção a isso!!! O que você quer incorporar do outro? Lembre-se isso é da ordem da alteridade, logo você é diferente de mim, mas me constitui. Então veja bem, afinal você está em um processo de construção e desconstrução. Fique bem caro leitor(a). Inclusive me siga no instagram @silviahelena.psi. Grande abraço!!!!   

CALMA! DEIXE QUE O BEIJO DURE, DEIXE QUE O TEMPO CURE

Silvia Helena de Amorim Martins.

E você meu caro leitor(a) como está? Como está se sentindo? O que você está experienciando nos dias atuais? Tenho a impressão de que faz muiiiito tempo que não nos falamos, pode ser que o tempo esteja nos pregando uma peça. Há dias em que ele passa devagar e outros que tudo é muito rápido. Será que estamos precisando de equilíbrio? Não sei, mas há dias que as costas doem (tensão de preocupação). Essa é uma palavra interessante PREOCUPAÇÃO. Segundo o dicionário significa perda do sossego, ideia fixa, dominante e antecipada que perturba o pensamento, sentimento de inquietação e medo.

Tenho a impressão que é algo muito presente no cenário atual. Mas como lidar com isso? Como ficar no presente? Como não se preocupar e sim se ocupar do aqui e agora? Longe de mim dar receitas para viver a sua vida, mas creio que podemos conversar sobre isso e trocar experiências. Partindo da minha vivência dentro de casa com raras aparições no mundo externo. Sempre tive o hábito de escutar música, mas na pandemia isso tem sido um exercício medidativo e de aprendizagem, um encontro intimo com a poesia e lhe convido a apreciar a música Idade do céu – Paulinho Moska.

Além de linda, essa canção nos convoca a reflexão sobre quem somos. “Não somos o que queríamos ser somos um breve pulsar”. Sim meu caro leitor(a), somos mortais e muitas vezes precisamos reconhecer que tem coisas que não damos conta e que não podemos tudo, muito menos controlar o tempo ou as pessoas que estão ao nosso redor. Faço até uma convite a apreciar o tempo, gastá-lo com sabedoria com algo que possa alimentar sua alma e se possível tornar seus dias tranquilos.

“Calma! Tudo está em calma deixe o que o beijo dure, deixe que o tempo cure deixe que a alma tenha a mesma idade que a idade do céu”. Respire fundo, não se apresse, não se afobe com o que não pode resolver. Não estou dizendo que seja passivo diante da vida, mas que realmente tem coisas e situações que não dependem do seu desejo. Aproveite os momentos, as relações, mergulhe nas sensações, ouça atentamente e saborei a companhia que o outro oferece, seja porto seguro para quem quer aportar no seu peito. Claro se for do seu desejo! Como diria Flávio Tris “Aporta em meu peito repousa em minha alma, sossega e acalma na lã do meu leito. O nome dessa canção é Alento Noturno.

As duas músicas nos fazem convites a encontrar a calma. Não estou dizendo que é fácil. Mas eu escolho me embriagar de música, de arte, de bons encontros, mesmo que virtuais. Dançar na ponta dos pés, rodopiar embalada por um som envolvente, mover meu corpo no meu ritmo, espalhar meus cachos faceiros. Mas como eu disse isso não é receita de bolo. E vale destacar que é importante encontrar a sua forma de viver esse momento e de se relacionar com o tempo. Como você está escolhendo viver os seus dias? Eu acredito que vale a pena pensar sobre isso!! Se cuida dai que eu me cuido daqui!! Não suma!!! Eu manterei contato!!!

O DESPERTAR DE MOTTI: MAS PODE SER O SEU!!!!

Por Silvia Helena de Amorim Martins

Você nunca sabe o que pode acontecer.

O jovem Motti, pertence a uma família judia e tem seu destino traçado pelas convenções, se relaciona em sua maioria com pessoas da mesma crença e hábitos. É um homem com o destino traçado pelos outros, o ponto de virada inicia quando o rapaz começa a se sentir incomodado com o comportamento intrusivo da mãe que passa a procurar uma noiva para o filho e ele não aceita se submeter a um casamento sem amor.

Ao logo da película, percebemos o quanto é incomodo ao outro quando o rapaz passa a tomar suas próprias decisões, a mãe sempre repete a mesma frase: “Quando você era criança era tão bonzinho e agora é isso”. Vamos nos demorar um pouco nesse trecho, guiar a própria vida, fazer escolhas e dizer não é uma atitude rebelde e libertadora. Mas sempre trará conflitos quando o outro percebe você como propriedade: “Meu filho (a), meu namorado, minha namorada, meu marido, minha esposa”. Sinto lhe dizer que nada é seu!!! Pessoas não são objetos e estão conosco por que desejam e dependendo das circunstancias podem deixar de desejar.

Aos poucos Motti vai despertando para o mundo e para sí, sua primeira mudança é livrar-se da barba, depois mudar os óculos, algo muito simbólico, o rapaz passa a escolher outro modo de ver e se colocar no mundo, após roupas, amigos e assim por diante, um passo de cada vez. 

E eu lhe pergunto: você vai começar esse despertar por onde? Estamos fechando fevereiro de 2021, não façamos desse ano uma reprodução de 2020. Sempre existe uma porta a ser fechada e outra a ser aberta! Algo que precisa chegar ao fim para dar lugar a um novo começo.

Mas, para algo mudar é necessário que você dê o primeiro passo rumo ao desconhecido, eu sei não é fácil, mas provavelmente a situação que você está inserido também não está agradável. O que será que lhe prende ao velho? Será o medo do novo? O medo de perder algo? Mas será que as perdas também não trazem ganhos? Eu acredito que sim.

Vale destacar que o caminho da mudança é desafiador, exige sustentar a decisão, em um determinado momento do filme Motti é expulso de casa como castigo por escolher se relacionar com uma mulher não judia. Mas mesmo amargando a dor da perda da família, a solidão ele não retrocede, ele continua seguindo no que acredita. E eu te pergunto você segue o que acredita? O caminho que você está trilhando é da ordem do seu desejo ou do que desejam para você? O melhor para sí é diferente do melhor para os outros! O que você acha de desconstruir lugares, posicionamentos e dinâmicas de relacionamento em que você está na posição infantilizada (quando o outro escolhe por você)? 

Eu acredito que se esse texto tem o poder de sucitar reflexões e que vai chegar em quem precisa despertar. Então sigamos!!! Um grande abraço! Se cuida daí, que eu me cuido daqui.

E esse desejo de mudança?

Silvia Helena de Amorim Martins.

O tão esperado 2021 finalmente chegou!!!! E com ele todos aqueles desejos de mudança, de vida nova. De repente você fez sua lista de metas para esse ano. Talvez você deseje mudar algo? Mudar de endereço? Ou até mudar a si? Só não vale emudecer e paralisar!!! Se eu estou criticando você? Jamais!!! Paulo Freire já afirmava não existe mudança sem sonhos e não existe sonhos sem esperança! A questão é o que nos impede de mudar? Será o medo de arriscar?

Medo de sair da zona de conforto? De se deparar com o desconhecido? Medo de falhar? Acredito que você ai do outro lado deve está elencando esses e outros motivos. Mas quero salientar, já se faz tarde e é chegada a hora de embarcar  rumo ao novo horizonte. O que tem do outro lado? Não sei, mas se desse lado você não está confortável talvez seja hora de partir rumo ao novo!!!

Talvez nos encontremos pelo caminho e até sigamos de mãos dadas até um certo ponto da caminhada. Tudo é possível e uma coisa é certa, entre você e a realização do desejo tem um caminho a ser percorrido e a escolha é sua. A trajetória pode ser curta ou longa, ou você pode nem sequer sair do lugar e fazer de conta que está tudo bem!! Afinal, vivemos em um país que faz de conta!!!! Faz de conta que não existe racismo, faz de conta que a pandemia por COVI-19 é uma gripezinha, faz de conta que acredita nas mentiras que outros contam.

Voltemos aqui a nossa viagem!!! Para onde iremos? O que faremos? Vamos levar bagagem? De forma surpreendente você tem resposta para todas essas perguntas, estão ai dentro de você. È possível que não queira ver ou ouvir as respostas ou até esteja confuso(a) demais para reconhecer. Cada pessoa possui uma bússola interior que aponta o caminho, mas às vezes estamos desconectados e perdemos o rumo.

O que você acha de se aprumar e bancar o desejo? É fácil? Não!!! Mas talvez não seja tão difícil como você pensa!! Um passo de cada vez e aos poucos nos livramos dos excessos e abrimos espaço para o novo. Que tal praticarmos o minimalismo? Ir nos livrando da bagunça, desatar nós e fazer laços? Ir como? Indo…, fluindo, seguindo, navegando em águas desconhecidas. Aos poucos cada qual no seu tempo.

Parece tentador não acha? Eu acho!!! Já sinto o gostinho de novidade, quando nos abrimos para o mundo ele também se abre para nós. Então vamos para o mundo!! Viver uma vida que vale a pena!!! Se cuida dai que eu me cuido daqui!!! Um grande abraço!!! Até a próxima!! Prometo que trago novidades!!!<3

É NATAL: E O QUE VOCÊ FEZ?

Silvia Helena de Amorim Martins.

O ano termina e nasce outra vez!

(Simone)

Sempre que ouço Então é Natal da Simone, lembro dos meus passeios ao Centro de Fortaleza acompanhada de meu pai, tinha por volta de oito anos e considero essa data mágica, os enfeites, o brilho, as luzes, as pessoas fazem as pazes nem que seja por um dia, mesmo que no dia seguinte voltem a brigar hahahah, Natal é sagrado pra quem comemora. Eu caminhava super satisfeita com meu pai, fazíamos longos passeios por dentro das lojas, mesmo que não fossemos comprar nada. A atmosfera natalina nos convidava, as músicas nos tocavam, e o brilho nos encantava. Não sei se você já observou, o natal tem um cheiro característico, de festa!! As pessoas se embelezam, arrumam a casa e cozinham delícias. Eu tenho a impressão de que nessa data a uma abertura ao perdão, um mergulhar dentro de si, emergem memórias e questionamentos como: É natal e o que eu fiz?

Eu estou pensando junto com você!!!! O que eu fiz em 2020? Vale destacar que foi um ano desafiador na esfera política, econômica e social, além da crise sanitária e que não estamos em uma competição para saber quem fez mais, quem fez menos e sim um exercício de auto aceitação. Diante disso optei por endereçar um olhar gentil a minha trajetória e lhe convido a ser gentil também com suas escolhas, limites e com o próximo que errou muito, mas creio que tentando acertar. Não sou melhor que você e nem mais evoluída, mas resolvi soltar alguns pesos, cargas que talvez me deixassem mais sobrecarregada e aprisionada ao chão.

O objetivo desse texto é lhe convidar a fazer uma retrospectiva do seu posicionamento durante ano. Enfatizo que não podemos mudar os fatos mas o nosso posicionamento sim!!!! Em que momento você acertou? Quando errou? Com quem? Será que mais do que com o próximo não erramos conosco? Afinal é impossível ferir o outro sem ferir a sí mesmo já que estamos interligados. Será que nos abandonamos? Deixamos de acreditar em um futuro melhor? Talvez sim e talvez não!!! Foi um ano com caminhos tortuosos, mas com algumas paisagens floridas. Havia dias em que estávamos bem e outros que estávamos péssimos, praticamente uma montanha russa.

Em algum momento a tristeza bateu e desesperança assolou, mas em outros fomos surpreendidos por sorrisos inesperados, abraços, conquistas no campo profissional, para alguns até aconteceu um amor elegante e sincero hahaha. Mas o que tudo isso tem haver com Natal? Tudo!!! Essa data é marcada pelo nascimento e nos convida a renascer em nossa própria pele e nos darmos outra chance. O ano termina e nasce outra vez! Lembra? Creio que fizemos o que foi possível e mais do que isso lutar pela vida imersos em uma crise sanitária, e isso é um ato de bravura! Então se nunca ninguém lhe disse eu estou lhe dizendo: Você merece ser feliz!!! E seja ao seu modo e do seu jeito!!!

Se autorizar a reescrever uma nova história, a alçar voos mais altos, relações mais dignas, e tudo que você julgar importante!! Mas como? Com quem? Onde? Quando? Isso é você que vai decidir meu bem!! O ano só muda se nos mudarmos!! Eu acolho suas angústias e seus medos, mas o ponto de virada está nas suas mãos e isso não posso escolher por você!!! Mas espero que esse texto suscite reflexões sobre suas escolhas. Então se cuida dai que eu me cuido daqui!!! E se prepara que 2021 vai ser maraaaaaaa!!!