AMBIGUIDADE Em Caixa Alta

Quando engravidamos esperamos aquele excesso de alegrias e belezuras que os comerciais prometem. Quando parimos então, aí temos certeza que o paraíso vem! E não que ele não chegue, mas não chega como paraíso, nem chega tão rápido assim… É preciso atravessar o famigerado PUERPÉRIO! Esse período logo após o nascimento do bebê em que você está aprendendo a ser mãe e seu filho a ser filho. Estava pensando como falar sobre o Puerpério, quando me deparei com esta foto nas minhas recordações. Essa sou eu, vivendo meu puerpério imediato, ainda no hospital. A sensação que me toma quando vejo essa foto é de desespero. Lembro que eu olhava para o meu filho e só pensava: é real! E agora?! Quando uma criança nasce, sobretudo sendo o primeiro filho, é como se a mãe se reiniciasse. A criança sai da barriga materna e a mãe mergulha dentro dela mesma. Encontra com sua própria criança, revisita seus medos infantis, assim como aquela alegria genuína e pura que só a alma de uma criança ainda consegue apalpar. Uma mãe por vezes feliz em ter seu filho, mas ainda sem saber como cuida-lo, como acalentá-lo, como amá-lo. “Mas todo mundo disse que a mãe de tudo sabe, que a maternidade é uma benção, uma poesia…Porque não estou vivendo esse momento mágico ?! “. Aí vem a culpa. A tão afamada culpa materna oriunda também de uma cultura que romantiza a maternidade, mas não acolhe esta mãe (tema que da muito pano pra manga: a culpa materna). O puerpério envolve todos esses sentimentos: alegria/tristeza, amor/ódio, ganhos/perdas. Alguns dizem que dura cerca de até 90 dias após a chegada do bebê , outros dizem que se refere ao período de um ano. Eu prefiro pensar que cada mãe é única, sendo assim, cada mulher terá um puerpério muito particular, tanto na sua ocorrência, quanto na sua duração. Sinto que por mais que tentemos definir puerpério em palavras, ainda fica faltando algo. Puerpério é transição. Puerpério é a AMBIGUIDADE em caixa alta.

Vai, encara, que dá certo! Não atravesse tudo isso sozinha, busque rede de apoio e, se necessário, ajuda profissional (tô aqui pra isso!!!). Beijos, Luz e axé!