Simbora ArteVistas!

Que mais uma semana passou e tanto foi vivido e organizado que nem sei como dei conta, mas rolou, alguns mais outros menos, mas todas as entregas previstas foram feitas e as agora já estamos no movimento de organizar o mês de março. E quem me ler por aqui sabe que passei por uma cirurgia surpresa para retirada do apêndice. E aí lógico que mesmo vivendo as demandas arrumei um tempo para pesquisar a relação desta crise, com a minha mente, os contextos e a espiritualidade. Você sabia que o apêndice é uma fonte de felicidade espontânea, que nutre o desejo de conquista e o sentimento de que se é capaz de conquistar? E quando adoecido é necessário resgatar o sentimento de que a vida é plena de sentido e que é direito de cada indivíduo alegrar-se ao seu modo, experimentando o prazer de viver das maneiras que lhe são próprias.

Compartilho esse novo saber e esta experiência pois tudo que vivi na última semana ainda se relaciona fortemente com meu corpo e mente ainda em estado de recuperação. Na segunda recebi em casa para um chá Izabel Lima, da ONG Velaumar e conversamos muito, matamos saudades e pensamos sonhos juntas. E aqui compartilho minha alegria por esta visita e a parabenizo e me sinto querida por ela ter encarado sozinha subir 13 andares de elevador. Para quem não se sente segura, 13 andares é um tempo grande em uma caixa fechada que sobe puxada por uma corda.

Na terça refiz todo o planejamento das nossas ações com o primeiro grupo de estagiárias, pois Izabel apresentou outras necessidades. E na quinta tivemos nosso primeiro encontro com 6 mulheres incríveis e repletas de multitalentos. Uma alegria vai ser viver todas as quintas deste semestre construindo uma ação junto com elas e construindo uma ponte segura para novas perspectivas. Aproveito para agradecer a Aline Domicio, que nos foi braço na relação com a Unifor, o que nos possibilita receber estagiários que possam contribuir com este lugar. Só gratidão!.

Esta semana também e por poder e precisar ficar deitada parei e observei com tristeza profunda que os parceiros deste blog foram parando de escrever e nem falaram nada. E lamentei, por perdermos a chance de aprendizados neste compartilhar, mas lamentei ainda mais pela falta de carinho com este lugar se se dispõe a ser nosso, no compartilhar de que não iria mais escrever, e tal… O a atenção da atenção respeitosa com o grupo. E sou grata aos que me avisaram e muito mais a tanto que foi compartilhado, por tantas inspirações nesses anos de blog, algumas vezes, mais perene, outras vezes menos. Ë que trabalhar em coletivo é como viver, estamos na relação com os outros e com os diversos ambientes e contextos e a vida segue e muda. Aos que seguem escrevendo gratidão e quem tiver interesse de escrever fala com a gente. 

Nesta semana consegui ainda bater um papo rápido, mas valioso com Mariana Vasconcelos, parte do Lab ArteVistas e uma das responsáveis pelo Coletivo Fundo da Caixa.

E o Lerha aprovou um projeto bonito que visa também gerar novos parceiros e apoio ao Poço da Draga. E no Ser Cidade, o curso que começa na sema que vem, tivemos mais um encontro belo e fundamental, onde exercitamos nosso trabalho coletivo, e mais um modo de inspirarmos ações comunitárias. Dois amigos queridos falaram que se inscreveram e estão ansiosos. Achei bonito!

E ainda consegui conversar com Marley e Heva para juntes serem os narradores da nossa história desses 10 anos. E aqui um parêntese que vou trabalhar na terapia. Assumi que não consigo falar da Lugar Artevista com a satisfação que desejaria, pois fui me desmotivando. Outra coisa ue tive assumir é que não sou concisa, nem midiática, até conheço as técnica, mas às vezes sua execução, bate em valores e como ando descobrindo-me e buscando cada vez mais me tratar com carinho, foi uma alegria poder compartilhar esse lugar com dois seres tão cheios de liberdade, amor, arte e desejo de mundo. No aguardo do retorno deles. 

Falei também com Henrique Kardozo para transcrevermos alguns programas, 40 para ser mais exata, mas o desejo final ainda ter transcrição de todos, para ver o que 10 anos de papos com ArteVistas geram de mensagens sobre o país que habitamos e sua relação com os Lugares, arte, vida e nossas percepções sobre esse todo.

E estou louca com um vinho, com violão e canção depois de um dia de praia! Pois já que perdi o apêndice, cabe a mim criar caminhos para viver a felicidade de existir neste corpo e contexto que habito.

Xero! E simbora para mais!

carinhosamnete,

Roberta Bonfim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s