Para Maria na lagoa e o entulho ao redor

O céu imperceptivelmente pendurado em si mesmo como sempre esteve poderia até cair e esmagar a lagoa e seus arredores Mas visto de tão longe parece mesmo é estar às vezes prestes a se soltar das cordas que o domam e flutuar se afastando até desaparecer dentro de outro céu mais largo e sem cor definida Uma inespera Uma desespera Uma extravia Como quando um dia vacas de rua entraram pelo portão aberto na casa de uma parente rica onde uma criança pobre estava passando algum feriado ou finde semana Depois as vacas foram embora Eu gostei da presença das vacas Vi da janela Queria que ficassem morando conosco embora eu sequer morasse ali Eu tinha três ou quatro anos de idade Tinha grama no pequeno terreno entre o portão e a casa Elas comeram a grama e foram embora Eu fiquei triste porque foram Supôs que elas pudessem ter gostado dele mesmo sem tê-lo visto O que provavelmente não quer nem deveria querer dizer nada Sentimentos do inimigo não pagam a carne dos nossos parentes mortos Mas Maria Maria minha amiga (nunca trocamos uma palavra Mas a considero minha amiga) Maria mendiga de cabelo enrolado dando voltas em torno da lagoa do Porangabuçu Não pelo objetivo de perder peso ou ganhar o que supostamente ganham os espécimes de classe média que circulam por ali Mas pelo gosto de caminhar sentindo talvez uma alegria sem par Desnecessária Inevitável Não como quem descobre o sentido da vida Mas como quem nunca vai precisar descobrir Aquela alegria da carência Que só escolhe poucos Alegria tão incontestável Tão capitalizável Alegria sem ter Quase sem ser Estar viva diante de nada Dessa tontura chamada tudo Estar viva puramente diante de si mesma Só por estar viva sem ter nada pra comemorar mas por respirar e caminhar rápido Podendo correr ou voar pra dentro de um buraco no chão (e são muitos e enormes os buracos no chão ou no teto São quase a mesma coisa) Enquanto que em uma sapientíssima quase indiferença aos caminhantes humanos ao redor da lagoa garças brancas ou baças voam ao entardecer pra fora da lagoa Rumo aos prédios ou casas ao redor da lagoa pelos poros da pele urbana ao redor da lagoa Como quem pisca os olhos em bando e assim insinua que tem um segredo que não vai ser revelado Garças rumo à pele urbana manchada de casas Prédios Negócios Bizinês Trambelhos Destrambelhos Sucata nova em folha Filhas da puta e/ou do puto Endividamentos sem fraude ou por fraude Mas o endividamento sem fraude já traz embutida sua pitada de fraude E mais Atravessando fraudes e outros quase nadas Sons misturados da natureza Sons mestiços da urbanidade Sons peristálticos da vida muda Os robôs que provavelmente um dia assumirão conduta humana vão se drogar e ser deslumbrados pelo poder Hedonistas Enquanto muito antes disso vc sente uma vontade quase irresistível de ser levado(a) pela onda Pelo bueiro Não se culpe Isso não quer dizer quase nada Mas por um motivo qualquer vc recusa no último instante Vc quer sobreviver Não que isso seja melhor ou faça alguma diferença Mesmo que gostem tanto de quem quer viver Dizem que querer viver e não querer são coisas parecidas Vontades Aliás Gestos Trejeitos Mas também vc sentiu E a Maria dando voltas na lagoa sentiu vontade de continuar viva Vivas Vivos Piscos Silvos Salvos Logaritmos Gente junta de algum jeito à noite Um bando de mulheres posando pra fotos e outro bando de mulheres vivas posando pra foto nenhuma Então não reza mais pra Deus Não Mas pra Deusa Pras Deusas pras Plantas pras Pedras pras Merdas Pra quem nunca foi ou nunca será ajudado(a) pela tua precisa mão Deus virou mulher Mudou de sexo Como rã na seca Como morto ressuscitado em filme pra toda a família Deus é um sapo-cururu Lamento avisar Mas não lamento nem um pouco Foi mal Bacurau A amiga cega que vê mais do que teus olhos retinosos conseguem ver Teus olhos retinosos vendo só o que cutuca teu nariz Porra E plurilhões de coisas mais Ou menos importantes acontecendo no mundo arredor em lugares tão longe Onde cacos de nação misturados viram comprimidos pelo agora Mas o pensamento sério e importante Supondo que seja sério e importante Escorre da palavra ou nunca é nela presença garantida E tudo bem ou tudo mal Já que a política começa ou termina desde a pessoa mais desprevenida ou mesmo desde aquela pedrinha que ninguém vê Embora a mera pedrinha já seja bem mais que uma questão de política Um hoje pior que o previsto em todas as profecias desde antigamente E enquanto isso Antes ou Enquanto Quase a mesma coisa o vírus Quer dizer A poeira Sempre se antecipando ou vindo depois Sempre por perto Na sombra Como na sombra debaixo de um teto de folhas de uma árvore bem copada no Nordeste as pessoas ficam à sombra do sol Sombra verde e luz tbm Mas menos agressiva que o sol cutucando a pele diretamente Mas no chão sob a copa da árvore tem muitas folhas caídas e por entre elas aranhas Escorpiões Formigas Lacraias e outros povos As pessoas querem a sombra da árvore Mas não querem conviver com aranhas Escorpiões Formigas Lacraias e outros povos Moral da História Ou seja A ordem é Cortem a porra da árvore Matem os inúteis Mas se puder em segredo Se não puder É a vida E não se engane nem por descanso Quase todas as pessoas são inúteis Desúteis Que nem vc e eu Vamos brincar de ser desúteis juntes por favor Por amor Por sei lá Por mais Ou menos Conseguir um pelo menos Alguma obsessão Ou menos E aquela velha obsessão humana por robôs Inteligências redundantemente artificiais que sabem que são superiores a nós ou se sentem assim Por isso nos menosprezam e querem mesmo nos encerrar Embora a maioria deles prefira nos ignorar A espécie humana precisaria mudar Praticar novos padrões Para ser admirada pelas inteligências artificiais que gostaria de criar Engraçado como as inteligências artificiais nascidas em nossas historinhas dentro e fora do papel quase mandam em nós E isso ainda é uma saúde Somos uma casa delas Enquanto quem nos domina pra valer nem diz nada ou diz baixo o que precisa dentro desse tipo de língua Quer dizer De sonho chamado realidade E se ainda der vontade de lembrar Tem alguém por aí puxando as nossas cordas e concedendo gentilmente mais um lixinho pra cutucar nossos narizes retinosos Mas boas festas e feliz ano novo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s