O tempo não é para amadores

 

Indyra Gonçalves

O tempo não é para amadores. Ele passa rápido demais, sem a possibilidade de você poder parar ou voltar. Em sua passagem, ele só parece acelerar. Ele é implacável e compacto. Muitas vezes cabe dentro de um sonho de uma criança, é intenso na vida de um adolescente e curto na juventude. É quando a gente cresce, que entramos no mundo dos adultos, que o tempo desaparece, que ele voa.

Com os anos, a gente aprende a fazer mágica com o tempo, porque não se pode apenas passar por esta vida sem plantar, sem amar, sem sentir. Daí, começa a briga com o tempo, que fragiliza o corpo, que aumenta as responsabilidades, que sufoca o peito com tanto compromisso. E a gente se queixa porque não tem tempo, ou porque já passou o tempo ou porque está ansioso com o tempo que ainda vem.

clock-pattern_8365-43

O tempo também é cenário de saudade. Ele constrói os mais saudosos enredos de querer voltar, de estar com pessoas queridas que partiram. O tempo também cura. Ele acalma corações, enlouquece quem o espera. Ela dá oportunidade para recomeçar e fechar ciclos. O tempo traz medo, coragem, nos desafia, nos deixa perdidos. Ele brinca, acontece, mas ele passa e passa rápido demais.

Esses dias, encontrei um baú, que considero um dos símbolos do tempo onde podemos guardar, assim como em uma memória que é palpável, um punhado de lembranças de um tempo em que o tempo parecia mais devagar. Ele foi presente de um dos meus aniversários da adolescência, onde coloquei cartas escritas à mão, com selos colados depois de passar a língua, cheias de adesivos coloridos, letras caprichadas que falavam sobre amizade, saudade e amor. Tudo de um tempo em que a gente tinha tempo para caprichar, para expressar, para parar e ler longas histórias de um cotidiano comum, simples.

Ah, seu Tempo, como você mudou as coisas. Como revirou tudo de ponta cabeça. Como passou. O que você me deixou? Agora estou sempre com presa, sem tempo para escrever sobre o banal. Sem tempo para viver o simples. Não tenho tempo de me reconhecer, porque você corre demais e eu não consigo pegar você.

Cazuza já dizia que “o tempo não para”. O que é bastante assustador, porque há tempos em que precisamos parar, respirar, recomeçar. Mas o tempo não para. Ele nos arrasta com suas mudanças, nos alivia com seus remédios, nos convence a tomar decisões, a lutar, a seguir ou a desistir. O tempo é rei e sabe disso. Ele também é medo, porque nem sempre conhecemos a caminhada, porque também temos receio de sofrer outra vez.

Mas o tempo tem também o papel de ser libertador. Ele nos faz deixar em seus caminhos mágoas que nos causaram dor. Ele nos faz lagarta para poder nos transformar em borboletas. Em cada novo caminho nos ensina, nos mostra, nos fortalece. O tempo entende nossas angústias. Ele sabe de tudo o que nós passamos. Muitas vezes age como um bom e velho amigo que tem o espírito acolhedor.

colorful-motivational-quote_1020-794

Tradução: Querido passado, obrigada pelas lições. Prezado futuro, eu estou pronto.

O tempo também se precipita. E vem de uma vez sem freios, sem avisos prévios. Ele nos mostra uma realidade que não aguardávamos tão cedo. Ele diz a verdade em segundos, tira o chão, enlouquece. São lágrimas. São dores. São medos. É silêncio. Daí, ele passa por um julgamento. Vira réu de um turbilhão de sentimentos. “Ei, seu tempo, vá com calma, que a minha alma não te esperava devastador assim”- alguém chama atenção do tempo. Outro questiona: “mas já era hora de você chegar? Não foi o que a gente combinou”. Pode reclamar, espernear, mas ele chega, passa, vai e vem. Ele é o senhor de tudo.

Às vezes, o tempo me assusta. Ele assusta você? E se não der tempo viver? E se não der tempo amar? E se não der tempo dizer ou aprender? “Ah seu tempo, por favor, vá mais devagar. Ainda preciso ver meus filhos crescer. Ainda preciso viajar, conhecer, me perder, me reencontrar. Ainda preciso me perdoar”. Será que ele te ouviu? Não tenho respostas, o jeito é caminhar.

clock-in-flowers-and-petals_23-2147697911

Time is money, my dear (Tempo é dinheiro, minha querida) já dizia o ditado. E quanto custa seu tempo? Ele vem com abraço? Tem devolução? Podemos parcelar os melhores momentos e passar mais rápido aqueles em que sofremos, com o peito ferido? Seu tempo atende qual negócio? Quais sonhos você já pagou com seu tempo? Você já “perdeu” tempo? O tempo também tem preço, consequências e prazo de validade.

De vez em quando a gente entra nas máquinas do tempo e deixa que ela nos leve sem destino, sem esperas, sem ansiedade. Estou confusa, seu Tempo. Não sei em que tempo estou. Será que no tempo de me perder? Ou será de encontrar? Estou no tempo de amar ou de recuar? Estou no tempo das flores ou dos espinhos? De chorar ou de encarar? De ficar ou de partir? Estou com medo de errar. Às vezes eu quero voltar, porque é mais seguro um lugar que já é conhecido, mas eu não quero parar. Ah, seu Tempo, vá devagar. Minha mente anda confusa, mas livre. Tenho receio de não parar de voar. E se eu não souber mais voltar, em que tempo vou ficar? Deixa que o tempo sabe o que faz. Que tudo tem tempo para acontecer, desde que esteja sendo plantado algo no presente. Falam ainda que o tempo nunca erra, que sabe a hora certa de tudo acontecer. Ele oferece as chegadas e enche corações; mas também traz as partidas, porque diz ser necessárias. O tempo sabe das coisas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s